DLA PHRAMA
Model: 3% 1,8ML
Product ID: 229
Product SKU: 229
LIDOCAINA 3% NOREPINEFRINA 0,04MG/ML (LIDOSTESIM) 1,8ML TUBETE C/50 UND - DLA PHARMA
Código: 229

LIDOCAINA 3% NOREPINEFRINA 0,04MG/ML (LIDOSTESIM) 1,8ML TUBETE C/50 UND - DLA PHARMA

Estoque: 0 Marca: DLA PHRAMAModelo:3% 1,8ML Referência: 3298


Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível

Embalagem com 50 tubetes de plástico com 1,8ml cada. Cloridrato de Lidocaína com hemitartarato de Norepinefrina.

USO PROFISSIONAL.

LIDOSTESIM É UM MEDICAMENTO, SEU USO PODE TRAZER RISCOS, PROCURE UM MÉDICO OU UM FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. MEDICAMENTOS PODEM CAUSAR EFEITOS INDESEJADOS, EVITE A AUTOMEDICAÇÃO: INFORME-SE COM O FARMACÊUTICO.

Atenção: Venda restrita ao Cirurgião Dentista ou pessoa jurídica que preste serviço odontológico com devida inscrição no CRO.

 

INDICAÇÃO:

LIDOSTESIM 3% está indicado para a anestesia local em odontologia e Cirurgia.

CONTRA-INDICAÇÃO:

Os AL tipo amida são contraindicados a pacientes que apresentem hipertermia maligna (hiperpirexia). A insuficiência hepática é uma contraindicação relativa à administração de anestésicos locais. Isto inclui pacientes submetidos à diálise renal e aqueles com nefrite túbulo intersticial crônica. Insuficiência hepática e cardiovascular significativas e a tireotoxicose (hipertireoidismo) são contraindicações relativas ao uso dos AL. A hipersensibilidade aos AL do tipo amida e a quaisquer componentes presentes na composição de LIDOSTESIM 3% (em especial os parabenos e bissulfitos) é uma contraindicação absoluta. MALAMED, SE Manual de Anestesia Local. 5°. Ed. Elsevier, 2005

CUIDADO E ADVERTÊNCIA:

Os carpules não devem ser autoclavados. Caso o dentista deseje realizar uma assepsia externa do carpule, deve-se aplicar um lenço umedecido com álcool isopropílico a 91% ou álcool etílico a 70% ao diafragma de borracha. Os carpules não devem ser mergulhados em álcool ou em qualquer outra solução desinfetante. Os dentistas que utilizam anestésicos locais em seus consultórios devem conhecer o diagnóstico e tratamento de emergências que podem surgir. Assim, deve existir equipamento de reanimação, de oxigenação e fármacos de reanimação para uso imediato. Os pacientes devem ser informados sobre a possibilidade de perda temporária de sensação e função muscular após a injeção infiltrativa e de bloqueio. Os pacientes devem ser avisados para estarem atentos

POSOLOGIA:

Como para todos os AL, a dose varia e depende da região a ser anestesiada, da vascularização dos tecidos, da tolerância individual e da técnica de anestesia. Deve ser administrada a menor dose necessária para produzir anestesia eficaz. A dose máxima é de 4,4 mg/Kg sem ultrapassar 300 mg (equivalente a 8 carpules para adultos saudáveis normais); a dose deve ser reduzida em pacientes clinicamente comprometidos, debilitados ou idosos. Recomenda-se que pacientes sensíveis ao hemitartarato de norepinefrina recebam apenas 2 carpules por consulta. MALAMED, SE Manual de Anestesia Local. 5°. Ed. Elsevier, 2005.
* Registro ANVISA: 1.0993.0003-002-3.

APRESENTAÇÃO:

Solução estéril injetável de cloridrato de lidocaína 3% (30 mg/mL) em associação com hemitartarato de norepinefrina. Via de administração: Parenteral, com injeção intra-óssea, conjuntival e intracanal.

COMPOSIÇÃO:

Cada tubete com 1,8 ml contém:
Cloridrato de Lidocaína ..........................................54,000mg
Hemitartarato de Norepinefrina *...............................0,072mg
Excipientes (Cloreto de Sódio, Metilparabeno, Metabissulfito de Sódio, Ácido Cítrico Anidro e Hidróxido de Sódio para ajuste de pH)
Água para injetáveis ......................q.s.p ....................1,800 ml
*0,072 mg de Hemitartarato de Norepinefrina = 0,036mg de Norepinefrina

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS:

Em geral, os depressores do SNC como narcóticos, opioides, ansiolíticos, fenotiazínicos, barbitúricos e anti-histamínicos, quando empregados em conjunto com Anestésico Local (AL), levam à potencialização das ações cardiorrespiratórias dos AL. O uso conjunto de AL e drogas que compartilham uma via metabólica comum pode produzir reações adversas. AL associados à vasoconstritores simpatomiméticos, como a epinefrina e a norepinefrina podem interagir com beta bloqueadores não-seletivos, inibidores da monoamina oxidase e antidepressivos tricíclicos. Para mais informações e outras interações, vide a Bula.

REAÇÕES ADVERSAS:

Os sinais e sintomas clínicos iniciais de toxicidade no SNC são de natureza excitatória. sinais de fala difícil, calafrios, contração muscular, tremores dos músculos da face e extremidades distais e sintomas de sensação de pele quente e ruborizada, delírio generalizado, tontura, distúrbios visuais como incapacidade de focalizar, distúrbio auditivo como zumbido, sonolência e desorientação. Além de reações adversas no SNC, também podem ocorrer reações no Sistema cardiovascular e respiratório, reações alérgicas, psicogênicas e parestesias. Para mais informações e outras reações adversas, vide a Bula.

 

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.